Posts Marcados Com: Neymar

A dança e a alma*

Imagem

 E não é que as coisas mudaram pros lados da Vila Belmiro?

Objetivamente, aconteceu pouco. A classificação no Brasileiro continua ruim, o futebol oscila e alguns problemas estruturais do time não serão resolvidos tão cedo (a lateral esquerda é um deles), mas o clima está, indubitavelmente, mais leve.

As redes sociais são sempre um bom termômetro e hoje, no lugar das agressões que vinham se tornando comuns, “fora esse”, “fora aquele”, percebi várias exaltações aos meninos da Vila, à volta da alegria.

De onde vem isso?

Vem de Patito, menino argentino, que entrou feito um raio de luz na noite do último Sábado no Pacaembu. Vem da contratação de André, menino da Vila, finalmente uma reposição de nível superior.

Sim, André é melhor que Borges. Se tiver juízo fora de campo, tem todas as condições de estar inclusive na Seleção Brasileira na próxima Copa.

Falando em Seleção, é desse amontoado de jogadores, sisudos, tristes e tensos que vem a melhor das boas notícias, vem a jato, vem Neymar.

E aí a gente conclui que dá pra sonhar de novo, que dá pra ser feliz de novo e que não há tristeza que dure pra sempre. Assim é o futebol, assim é a vida. Que bom!

Alguns perfis santistas no Twitter criaram a tag #AVoltaDasDancinhasDoSantos , achei ótimo, mas haverá os críticos de sempre. Há quem veja nisso menosprezo, falta de seriedade, de compromisso. Há quem veja nisso, inclusive, a razão para os males do futebol nacional que têm como símbolo maior a triste Seleção.

São pobres de alma.

Feio é jogar sem alegria, feio é jogar com a bunda no chão, feio é esquecer que independente do resultado que virá, é possível ser feliz e fazer história jogando futebol e que sim, é possível dançar.

Não sei pra onde vai o Santos este ano, o título, como já mostramos aqui no blog é praticamente impossível. A classificação à Libertadores exigirá uma campanha de campeão, irrepreensível, e é muito difícil. Montar um elenco para 2013 é, racionalmente, o mais recomendável. Mas não sei.

Não sei pra onde vamos e nem se conseguiremos vencer o Figueirense esta noite, ou o clássico – tão simbólico – do próximo fim de semana,  mas sei que hoje acordei com uma expectativa diferente em relação ao Santos, nem sabia o que era até os “meninos” do twitter me lembrarem e aí lembrei de Drummond, de quem roubo o título para esse post, que disse sobre a dança:

 

um estar entre céu e chão,

novo domínio conquistado,

onde busque nossa paixão 

libertar-se por todo lado…

 

Era o que tinha a dizer. #vaipracimadelesSantos

 

PS Ganso: Desse caso não vou dizer mais nada. Queria muito que você percebesse o quanto perde ao se deixar manipular por quem te cerca. Ninguém gosta mais de você do que sua família, nossa torcida é parte dela. Volte, bem-vindo, brilhe e se tiver de sair que seja dançando, pela porta da frente.

* veja o poema na íntegra

** foto “roubada” do blog do Odir

Anúncios
Categorias: Uncategorized | Tags: , , , , , | 1 Comentário

Mais que descanso e atitude, falta um lado direito

É comum que uma derrota tenha sempre muitas explicações e versões possíveis, sobretudo, em clássicos e decisões ou clássicos decisivos.
Quando a derrota é daquelas que esmagam a alma, essas explicações aparecem em tom de urgência, e com elas os clichês.

“Neymar está cansado, faltou atitude”, dizem.

“Neymar está cansado, a culpa é do LAOR que não o vendeu tendo que lotá-lo de compromissos publicitários!” Já ouvimos isso.

“Neymar está cansado, a culpa é da CBF que só convoca jogadores do Santos e não do Corinthians” Ouvimos também.

“Neymar está cansado e o Santos depende dele, sem Neymar é um time comum” Essa é clássica.
Enfim, o cliente pode montar sua desculpa como quiser, desde que em algum momento mencione o bordão sobre o cansaço de Neymar.

O “explicador” pode ter várias intenções: perseguir Neymar porque nunca consegue uma exclusiva, “tirar o foco” da derrota porque o time não foi bem ou ainda tentar vantagem futura atribuindo culpa à CBF etc.
A minha intenção é a de ganhar do Corinthians, é preciso entender e assimilar a derrota e planejar a vitória. Vamos aos fatos.
Veja aí o gol do Corinthians

gol de Émerson

Trata-se de jogada “manjada”, necessária em jogos de marcação encaixada. Alguém vem de trás, atraindo marcação, desarrumando defesa, alguém sobra livre e faz o gol. Você já cansou de ver gols assim, não? Que tal esse?

gol de Neymar

Idêntico com um pouco mais de dificuldade, né? Émerson teve tempo de pentear o cabelo que não tem, de ligar pra casa e saber como estava sua macaca e de planejar sua viagem no próximo réveillon.

Esse é o primeiro ponto, o lado direito do Santos é defensivamente confuso e sonolento. Se a improvisação de Henrique ajuda porque eleva a altura da defesa para as bolas aéreas, atrapalha demais porque ele pensa como volante e não leva o mínimo jeito para a função. Marca mais ou menos e não apóia.

Aí vamos ao segundo ponto, volte ao primeiro vídeo e me responda, onde está Elano?
Há um ano me pergunto.

É isso amigos, temos um problema estrutural, nosso lado direito inexiste também ofensivamente, Elano tem sido inoperante quando sobe, inútil quando marca.

A culpa não é só dele, tampouco da Nívea Stelman, quando se vê no ataque à direita, sozinho, procura a esquerda, procura Neymar porque não sabe o que fazer.

Isso não ocorreu contra o Corinthians, isso ocorre sempre. Conto nos dedos as grandes partidas do Santos nos últimos 12 meses, as últimas foram contra o Inter, na Vila e no Beira-Rio. Mas e os 8 no Bolívar? E o SPFC no Paulistão?

Desculpem mas não. O Bolívar é semi-profissional, o SPFC um arremedo de time, visivelmente em processo de formação. Fizemos o que havia de ser feito. Só.

E o que acontece, então? Neymar está cansado há um ano? Será?
Ou nos acomodamos, já que o talento sempre resolve, “O Santos sempre faz um gol pelo menos” cansam de dizer, Muricy e as estatísticas.
O fato é que agora só isso não resolve, é hora de resolver o que fazer com esse lado direito.
Maranhão? Tenho medo!
Apóia mas marca mal demais e cada cruzamento é um desespero, dá uma olhadinha no gol que levamos do SPFC no Brasileiro, apesar de dar mais volume de jogo à direita. No caso, sairia Elano.

Borges? Não vem bem, parece sofrer de contratite, mas é o Borges.
No caso Kardec jogaria do meio pra direita. O rapaz é limitadíssimo mas taticamente inteligente e dedicado, faz o que mandarem. No caso, sairia Elano.

Felipe Anderson? Meu Deus, tem o Felipe Anderson! Não dá pra saber, nunca dá. No caso sairia Elano.
Elano? E se Elano acordasse? No caso, sairia Elano, o morto.

Tirar Neymar da esquerda? Que tal Muricy?
Tite, ao marcar o garoto com Alessandro, Ralf e Jorge Henrique, garantiu que Neymar não tivesse espaço onde quer que pegasse a bola, no meio, na intermediária, no ataque. Se ele se movimentasse mais, talvez a coisa ficasse menos difícil, talvez.

Fucile? Onde está Fucile? Sabia-se que a contusão era tão grave? Não se pensou que não teríamos lateral?

O que fazer? O que você faria?

O fato é que o momento é de apoio. Acredito demais no Santos, porque o Santos é melhor que o Corinthians. Sim, é melhor mas precisa ser mais inteligente, suportar a pressão da torcida e dar as cartas do jogo. Assim fazem os melhores.

A questão, mais do que cansaço e atitude, é tática. O adversário nos anulou e deixou poucas opções, como sair disso? Com a palavra Muricy.

Grandes técnicos aparecem em momentos como estes. Eu acredito!
Vai pra cima deles, Santos!

Categorias: Uncategorized | Tags: , , , , , , , | Deixe um comentário

Blog no WordPress.com.